Pesquisas sobre o Osama no Google estão
direcionando usuários para antivírus fraudulentos
(Foto: Reprodução/Kaspersky)

A morte do líder terrorista Osama bin Laden, que ocorreu no domingo (1º), já está sendo usada por criminosos virtuais para disseminar diversos vírus de computador. Entre as pragas disseminadas estão um antivírus fraudulento e um ladrão de senhas bancárias brasileiro.

O vírus brasileiro está sendo enviado por e-mail com o assunto “veja vídeo em que Osama bin Laden aparece segurando jornal com data de hoje e desmente sua possível morte relatada por Obama”. O conteúdo da mensagem é um único link que, superficialmente, aparece apontar para uma página do G1.

No entanto, o link verdadeiro vai para outro site, em que o usuário será infectado por vírus capaz de monitorar o acesso a sites de bancos para roubar informações. A notícia é falsa.

A fabricante russa de antivírus Kaspersky Lab divulgou a existência de uma campanha criminosa envolvendo termos de pesquisa no Google pela morte de Osama. O objetivo é instalar um antivírus fraudulento no PC das vítimas. Esse tipo de praga se disfarça de antivírus e dificulta o uso do computador até que o usuário pague para “consertar” o problema que ele mesmo criou.

Pesquisas como “osama bin laden body” (corpo de Osama bin Laden) no Google Imagens levam para sites maliciosos, graças à atividades conhecidas como Search Engine Optimization (SEO, otimização para sites de buscas) realizadas pelos criminosos responsáveis pela fraude.

É possível que ainda outras fraudes, com abordagens diferentes do mesmo tema, sejam criadas pelos criminosos para disseminar outras pragas virtuais. É recomendável duvidar de links, principalmente em e-mail e redes sociais, e tomar cuidado ao realizar pesquisas pela internet.

Fonte: G1 Tecnologia