Os 5 Programas de TV do Brasil com mais tempo no ar.
Programa Silvio Santos
Exibido desde 1962, na TV Paulista, até hoje, no SBT.
O programa que consagrou o pseudônimo de Senor Abravanel começou na TV Paulista, uma emissora local que foi comprada pela Globo em 1965. Fez sucesso e, em 1969 chegou a atingir 89 pontos de audiência. Já chegou a ter 10 horas de duração (ô disposição!) e tinha como um de seus concorrentes o programa dominical de Hebe Camargo. É, o mundo dá voltas. Mas a bagunça do programa – sem vinhetas padronizadas – estava incompatível com os padrões da Globo, o que foi causa de tensões na emissora. Em 1975, o Homem do Baú conseguiu o canal 11 do Rio de Janeiro e criou a TVS – que viraria o SBT em 1981. Mas o programa continuou a ser transmitido em rede nacional pela Record até 1987. Durante todo esse tempo, Silvio Santos apresentou vários quadros diferentes – e polêmicos – no programa. Uma das primeiras pegadinhas que mostrou (ele foi o responsável por introduzir esse tipo de atração no Brasil) causou uma séria briga conjugal e foi interrompida pela metade. Nela, um ator casado paquerou uma modelo contratada pelo programa enquanto sua esposa via a cena do palco, furiosa. Climão!
Jornal Nacional
Exibido desde 1 de setembro de 1969, na rede Globo, até hoje
Primeiro programa a ser transmitido em rede nacional, o Jornal nacional ajudou a Rede Globo a assumir a liderança absoluta de audiência. Sua edição inaugural foi apresentada por Hilton Gomes e Cid Moreira no dia 1º de setembro de 1969. O casal William Bonner e Fátima Bernardes começou a comandar o jornal há pouco, em 1998. Até os anos 70, o Jornal Nacional era transmitido entre 19h45 e 19h50, mudando para o horário atual (às 20h15) no fim dos anos 90. Segundo a emissora, a alteração procurava adaptar a atração às mudanças na rotina dos brasileiros, que passaram a gastar mais tempo para voltar para casa do trabalho.
Fantástico
Exibido desde 5 de Agosto de 1973, na rede Globo, até hoje.
A revista eletrônica dominical da Globo foi criada em 1973 por José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, de quem é a letra da música de abertura. O novelista Manoel Carlos foi diretor do programa entre 1973 e 1975. Nessa época, Cid Moreira e Sérgio Chapelin eram os apresentadores, junto com artistas da Globo, que se revezavam a cada domingo. A atração teve vários quadros ao longo dos anos, alguns dos quais se tornando programas independentes, como o Profissão Repórter. Quem não ficava aterrorizado com as reportagens sobre extraterrestres e chupa-cabras que eram apresentadas regularmente no final dos anos 90 que atire a primeira pedra. E quem não lembra das vinhetas de abertura dançantes que ele já teve?
Programa da Hebe
Exibido desde 4 de março de 1986 até hoje, no SBT
Hebe Camargo participou da TV no lançamento da primeira emissora do Brasil e da América Latina, a TV Tupi. No primeiro dia de transmissões, em 1950, ela deveria cantar o “Hino da Televisão”, mas não foi porque disse estar doente (Porém, o motivo real seria algum programa melhor com um namorado… Espertinha!). Depois disso, ela teve participação em outros programas, mas sua estreia como apresentadora foi em 1955 no primeiro programa feminino da TV brasileira, chamado O Mundo é das Mulheres. Em 10 de abril de 1966, Hebe estreou seu programa dominical na TV Record e foi aí que sua carreira de entrevistadora – bem como o formato do seu programa – se consolidou. Ela se tornou líder absoluta de audiência e nessa época trabalhava com o músico Caçulinha (o mundo dá voltas – parte 2). Em 1986 foi para o SBT, onde apresentou três programas: Hebe (o que esta no ar até hoje), Hebe por Elas e Fora do Ar.
Domingão do Faustão
Exibido desde 26 de março de 1989 até hoje, na Rede Globo
O Domingão foi criado para competir com o Programa Silvio Santos, até então líder de audiência nas tardes de domingo – e atingiu o objetivo logo. O programa de auditório já teve vários quadros que marcaram os queridos domingos da nossa infância, como as Olimpíadas do Faustão e Sexolândia, numa época em que muitos de nós nem sabiam o que era isso. As duas primeiras aberturas do programa ficaram na memória (e nos pesadelos, talvez?) de muita gente. A primeira, de 89, mostrava vários objetos saindo da boca do apresentador. A segunda, de 91, trazia uma versão gigante do Faustão saindo dos estúdios da Globo no Rio de Janeiro e andando pelo Brasil.